Artralgia o que é

Você pode até nunca ter ouvido falar sobre o que é artralgia, mas, com certeza, já sentiu ou conhece alguém que a manifestou em alguma fase da vida. Ela é a popular “dor nas juntas”, ou seja, nas articulações, e está entre um dos tipos mais frequentes de dor ⁵.

Ela pode tornar a vida do paciente mais limitante, principalmente se ele for da terceira idade, faixa etária que mais manifesta esse sintoma. Porém, as dores nas articulações podem atingir pessoas de todas as idades e todos os gêneros devido a várias causas ¹.

Vamos entender melhor sobre o que é artralgia, o que causa inflamação nas articulações, o que é bom para dor nas juntas e quais são os tratamentos indicados? Leia este guia completo até o final e aprenda!

O que é artralgia?

O termo artralgia é proveniente do grego e quer dizer: junção (arthro) + dor (algos). Em outras palavras, artralgia é dor na articulação, popularmente chamada “dor nas juntas” ⁷. Geralmente ela está associada à restrição dos movimentos, podendo levar à total incapacidade de mobilidade da pessoa ⁵.

Ela pode afetar qualquer articulação do corpo. Quando ela se desenvolve em apenas uma única articulação, é chamada de monoartralgia. Já quando se desenvolve em várias articulação, é poliartralgia ⁷.

É importante destacar que ela não é uma doença, é um sintoma causado por algumas patologias. Por exemplo, a artrite causa dores nas articulações, mas a artralgia não desencadeia a artrite ⁷.

Diferença entre artralgia e mialgia

A diferença entre artralgia e mialgia é que a artralgia é um sintoma caracterizado pela dor na articulação. E a mialgia é uma doença que afeta os músculos, causando dores, entre outras manifestações ⁸.

Quais são os sintomas da artralgia?

Os sintomas da artralgia podem ser diversos, dependendo da doença causadora. Porém, as manifestações mais comuns envolvem dor, disfunção e rigidez em uma ou mais articulações ¹.

A artralgia pode durar apenas alguns dias, sendo classificada como aguda, ou então meses ou anos, quando se torna crônica ⁵.

Ela pode afetar uma ou mais articulações e, geralmente, é caracterizada como uma dor surda e vaga, diferente da dor cutânea que é mais aguda e com localização precisa ⁵.

Outro ponto é que a artralgia pode ser ⁵:

  • não inflamatória: com dor durante os movimentos de resistência;
  • inflamatória: com dor mesmo durante os movimentos mais rotineiros.

A artralgia pode causar restrição ou paralisação de movimentos, perda de força muscular, deterioração física e claudicação (após exercícios físicos). Quando acompanhada de dor, ela costuma piorar ao se movimentar ou levantar peso ⁵.

Destacamos que a artralgia em joelhos e outras articulações pode manifestar dor mesmo em repouso, como deitado na cama ⁵.

Além disso, a pessoa pode sentir ⁵:

  • aumento da dor ao apalpar o local com pressão moderada;
  • se a articulação tiver inflamada, é possível que ela fique inchada, quente, sensível e avermelhada;
  • deformidade articular e alteração no crescimento ósseo;
  • redução da amplitude de movimento.

Leia também: Cuidados com a saúde das articulações: 5 dicas práticas

O que causa inflamação nas articulações?

Ao ler o que é artralgia, você aprendeu que ela é um sintoma causado por algumas doenças ou traumas. Entre as principais causas não inflamatórias e inflamatórias nas articulações, destacamos ⁷:

  • traumatismos, como fraturas ósseas, luxações, entorses, distensões, uso excessivo da articulação e ruptura de tendão muscular;
  • ferimentos;
  • infecções, como chikungunya e dengue;
  • doenças autoimunes, como lupus, artrite reumatoide, esclerodermia, síndrome de Sjögren e doenças do tecido conjuntivo ;
  • inflamações, como artrite reumatoide ou infecciosa aguda e crônica, gota, osteoartrite, bursites, tendinites etc ;
  • reações alérgicas a medicamentos ou efeitos colaterais;
  • doenças degenerativas;
  • obesidade;
  • atletas que colocam pressão recorrente sobre a articulação e desencadeiam lesões nas articulações;
  • envelhecimento natural do corpo, que, gradualmente, gera perdas da cartilagem que reveste as extremidades dos ossos nas articulações.

Artrite reumatoide

Uma das maiores razões do desenvolvimento da artralgia é a artrite reumatoide. Ela é uma doença inflamatória crônica que se manifesta em 0,5 a 1% da população mundial, especialmente as mulheres ¹.

A artrite reumatoide costuma atingir pessoas entre 30 e 50 anos, mas pode afetar indivíduos de qualquer idade. Esse distúrbio impacta o bom funcionamento de várias partes do corpo, como pele, vasos sanguíneos, coração, pulmões e músculos  ¹.

Porém, a maior parte da população apresenta artrite nas articulações, com punhos, mãos, ombros e joelhos. Nesse caso, a artralgia desenvolvida gera dor forte pela manhã e à noite, deixando a articulação rígida durante uma hora ou mais e depois momentos prolongados de repouso ¹.

Osteoartrite

Mais um motivo bastante comum que pode causar inflamação nas articulações: a osteoartrite, que é uma doença reumática diretamente associada ao envelhecimento. Estima-se que ela atinja cerca de 16% dos brasileiros ¹.

Ou seja, ela é uma doença frequente das pessoas da terceira idade e se manifesta com dores musculoesqueléticas crônicas e dificulta a mobilidade diária. Também afeta bastante as articulações, causando rigidez articular, insegurança, instabilidade e limitação de movimentos ¹.

A artralgia nos joelhos é a principal reclamação de quem possui osteoartrite, podendo até incapacitar fisicamente a pessoa, impedindo-a de andar e realizar suas atividades comuns  ¹.

Osteoporose

A osteoporose também causa artralgia, pois essa doença reduz a densidade óssea e acarreta perda de resistência e maior risco de fratura, especialmente nos quadris, nos punhos e na coluna vertebral ¹.

Obesidade

A obesidade é classificada como excesso de gordura corporal, proveniente de algum distúrbio metabólico. Além de afetar todo o corpo, ela pode promover diabetes, doenças cardiovasculares, alterações cerebrovasculares e doenças articulares degenerativas ².

A artralgia nos joelhos, nas pernas e nos pés são mais frequentes devido à sobrecarga e ao estresse causados nos ossos e nas articulações  ².

Chikungunya

A doença infecciosa do vírus Chikungunya também se destacou quando o assunto é o que artralgia e seus sintomas. Afinal, essa epidemia atingiu uma grande quantidade de pessoas, que manifestaram fortes dores nas articulações de forma crônica, impactando a qualidade de vida ³.

Aprenda também: Como fortalecer os ossos e os músculos? Conheça 3 dicas!

Como é feito o diagnóstico da artralgia?

Especialistas concordam que o diagnóstico da artralgia não é fácil, justamente por ela ser um dos sintomas de variadas doenças.

Porém, para estudar as possíveis causas e definir o que fazer e o que tomar para as dores nas articulações, os médicos geralmente realizam uma extensa anamnese (coleta de dados sobre estilo de vida e histórico de saúde) e um exame físico ⁷.

Para descobrir os motivos da dor e do inchaço nas articulações são realizados também ⁵,⁷:

  • exames de sangue (para investigar se há inflamação) e do líquido sinovial;
  • radiografias para verificar se há deformações, rupturas de ligamentos ou perda de cartilagem;
  • tomografia computadorizada;
  • ressonância magnética para analisar a possibilidade de edema na medula óssea e outras alterações no tecido mole.

Quais são os tratamentos para artralgia?

Depois de realizar todos os exames pedidos pelo médico, é possível entender como curar as dores nas articulações ou, pelo menos, reduzir o desconforto. Há várias opções de tratamentos para artralgia, que variam de acordo com o local afetado, a gravidade da dor e sua causa ⁷.

Lembramos que nem todas as artralgias são permanentes, elas podem ser transitórias. Nesse caso, o tratamento é feito com repouso, gelo local e ingestão de medicamentos analgésicos até o fim dos sintomas ⁷.

Já se a gravidade da doença ou da dor for maior, é possível curar a artralgia por meio de cirurgias ou indicações de remédios específicos ⁷.

Além disso, há recomendação de realizar algumas terapias não-invasivas, como explicação detalhada sobre a doença e o tratamento, mudança na alimentação, exercícios, fisioterapia e uso de equipamentos específicos ⁷.

Fisioterapia

A fisioterapia é a mais indicada para tratar e atenuar os sintomas da artralgia. Ela pode contar com recursos variados, como estimulação nervosa transcutânea (eletroterapia) ⁵, hidroterapia, cinesioterapia e termoterapia ¹. Principalmente para pessoas com osteoartrite, artrite reumática e com osteoporose ¹.

Estudos relataram que a união da hidroterapia com a cinesioterapia (terapia do movimento) trouxe ótimos resultados positivos no tratamento de artrite reumatoide, osteoartrite e osteoporose ¹.

Como tratar a artrite reumatoide?

Médicos recomendam a realização de fisioterapia em todas as fases da doença com o objetivo de preservar e restaurar os movimentos funcionais, como a mobilidade da articulação, a força e a resistência muscular, a flexibilidade e a capacidade aeróbia ¹.

A hidroterapia também mostrou-se uma forma eficaz de tratamento, assim como a cinesioterapia com exercícios passivos no começo da doença e mais ativos durante o avançar da patologia ¹.

O American College of Sports Medicine (ACSM) recomenda que os exercícios durem, no mínimo, 20 minutos e que sejam praticados pelo menos duas vezes por semana. Caso essa recomendação seja seguida, há o aumento de 60% da frequência cardíaca esperada para a idade e a melhora da dor e da mobilidade ¹.

Para ajudar a prevenir a artrite reumatoide indica-se a realização de atividades aeróbicas, como bicicleta, caminhada, corrida, hidroginástica e natação ¹.

Continue aprendendo: Esporte e saúde: conheça os 5 melhores esportes para praticar depois dos 50

Como tratar a osteoartrite?

O tratamento para a artralgia causada pela osteoartrite é geralmente a cinesioterapia para reduzir as dores e gerar uma melhora funcional e a hidroterapia, que é a mais recomendada para amenizar os sintomas dessa doença ¹.

Afinal, os exercícios dentro da água proporcionam maior mobilidade das articulações, controle dos músculos e resistência muscular, além de aliviar as dores e contribuir significativamente para a recuperação ¹.

Há ainda a opção da eletroterapia que, de acordo com estudos, auxiliou na melhora da dor e da função dos joelhos ¹.

Como tratar a osteoporose?

A artralgia sentida na osteoporose pode ser amenizada (e prevenida) pela prática regular de atividades físicas. Os exercícios de força muscular são os mais eficazes para prevenir quedas e fraturas e ainda aumentar a massa óssea ¹.

A atividade física contribui para a redução da dor, o consumo de remédios como analgésicos e a melhora do bem-estar e da qualidade de vida ¹.

O que tomar para dores nas articulações?

Dependendo da gravidade da doença e das dores, recomenda-se o uso de analgésicos e/ou antiinflamatórios ⁷.

Em caso de infecções, indica-se antibióticos e para alterações no sistema imunológico, medicamentos como imunossupressores. Se a inflamação nas articulações for alta, pode-se aplicar injeções de corticoides, e ingerir remédios específicos para cada doença ⁷.

Como curar as dores nas articulações com suplementos alimentares?

Pesquisas recentes revelam que algumas vitaminas e alguns minerais ajudam a amenizar as dores e a tratar determinadas doenças ⁶.

A suplementação alimentar pode ser indicada para prevenir ou tratar diversos problemas de saúde. Isso porque, vitaminas e minerais possuem altas propriedades antioxidantes, que contribuem para a redução dos danos causados pelo processo degenerativo do organismo ⁶.

Segundo alguns estudos, são recomendados suplementos de ⁶:

  • plantas medicinais: algumas delas são compostas por elementos antioxidantes naturais, que ajudam a diminuir sintomas, a prevenir doenças crônicas degenerativas e a proteger o organismo do estresse oxidativo. E o melhor é que elas possuem preços mais acessíveis e poucos (ou nenhum) efeitos colaterais;
  • sais minerais: minerais como o cobre, o zinco, o magnésio, o manganês e o selênio atuam na regulação da oxidação de células, tecidos e órgãos do corpo e são indispensáveis para o bom funcionamento do organismo;
  • vitamina C: é impossível falar sobre propriedades antioxidantes e não destacar o ácido ascórbico! Ela também é mundialmente conhecida pelo seu alto poder anti-inflamatório e sua função no sistema imune;
  • ômega 3: esse ácido graxo entra na lista porque possui ação anti-inflamatória bastante significativa. Além disso, ele é imunomodulador, fortalecendo a imunidade e o bom funcionamento do organismo.
  • vitamina D: essa vitamina, que, na verdade, atua como hormônio no organismo está intrinsecamente ligada à formação e a manutenção dos ossos. Ela também possui propriedades imunomoduladoras e age na proliferação e diferenciação celular e na regulação da liberação de citocinas inflamatórias.

O que as pesquisas dizem sobre os suplementos alimentares?

Pesquisas relataram que o consumo de suplementos alimentares a longo prazo reduzem o aparecimento de efeitos adversos, diferentemente dos anti-inflamatórios convencionais, que ainda podem gerar dependência ⁶.

Isso acontece muito com atletas de alta performance, que acabam ingerindo anti-inflamatórios durante um período prolongado a fim de melhorar lesões e diminuir as dores causadas pelo esforço físico elevado ⁶.

Destacamos a importância de consultar um médico para realizar exames e entender qual suplemento pode ajudar o seu tratamento.

Entendeu o que é artralgia, seus sintomas, principais causas e métodos de tratamentos? O importante é manter hábitos de vida saudáveis para prevenir doenças e promover o bom funcionamento de todo o corpo, principalmente durante o envelhecimento.

Para ajudar, selecionamos mais alguns artigos do nosso blog. Confira:

Conheça a linha de vitaminas Vitasay em www.vitasay.com.br.